Follow by Email

domingo, 29 de março de 2009

Governo executa plano para elevar custo da água

(Redigido em 15/02/2009 às 11:49hs)

Já há alguns anos o governo federal vem veiculando uma campanha publicitária nas emissoras de TV para alertar a população sobre a importância da economia de água. Deixar a torneira ou o chuveiro gotejando causaria o desperdício de uma quantidade absurda de água; lavar o carro com uma mangueira seria a causa de uma crise sem precedentes que afetaria a todos; deixar a torneira aberta enquanto se escova os dentes seria um atentado contra o povo do Brasil.

A verdade, porém, é que essa publicidade na TV é uma estratégia de manipulação bem conhecida. Cria-se um problema para depois se oferecer uma pseudo-solução, fazendo-nos aceitar medidas amargas como “dolorosas, mas necessárias”. A campanha que o governo Lula faz para alertar sobre a importância da economia de água tem a finalidade de acostumar o povo com a idéia da falta de água. Ora, sabe-se que o Brasil sempre foi um país com vastos recursos hídricos. Temos muitos rios e a maior parte de nosso território não sofre com a carência de água.

O que está ocorrendo é que o governo será o único culpado por uma eventual carência de água no Brasil, se ele não fizer investimentos mínimos para garantir o abastecimento da população. Parece-me que o governo está preparando um brutal aumento do custo da água no país. Nossa água sempre foi barata, pois a tínhamos em abundância. Agora o governo quer nos fazer acreditar que temos pouca água. Nada mais falso. O Brasil nunca precisou economizar água, temos o suficiente do precioso líquido.

Por enquanto.

A campanha veiculada pelo governo sobre a importância da economia da água está preparando psicologicamente o povo brasileiro para um aumento absolutamente absurdo no custo da água. Este aumento atingirá principalmente as classes mais pobres e a classe média, pois é nelas que o custo da água representa uma fatia maior do orçamento doméstico.

Quando o desastre aqui previsto estiver consumado, que o povo se lembre que o alertei.

3 comentários:

  1. Amigos.
    Não sou jornalista nem escrevo bem.
    Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político.
    Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto.
    Quero convidar os amigos a participarem da minha forma de protesto, o blog Brasil – Liberdade e Democracia - http://brasillivreedemocrata.blogspot.com/.
    Se não levantarmos nossas vozes em protesto o que será deste país para nossos filhos e netos?
    Agora é a hora de lutarmos por uma pátria livre democrática, e sobre todo com governantes honestos e éticos.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Eric

    Estou aompanhando o seu blog, e vejo que tem um grande interesse pelo Nióbio.

    Mo emtanto, assistindo aos videos vejo que há alguma desinformação relativa ao tema que gostaria de compartilhar com você.

    O Nióbio, como é de seu conhecimento, é uma liga utilizada principalmente na fabricação do aço com a finalidade de tornar as chapas mais finas e mais resistentes.

    O principal uso do aço ao nióbio é em dutos para oleodutos e gas em temperaturas muito baixas, onde o aço sem o tratamento de nióbio se torna muito quebradiço. Este é o uso da maior parte do nióbio produzido no mundo.

    A proporção de nióbio por tonelada de aço é de aproximadamente 200 gramas. Isto é são utilizados 200 gramas de nióbio para produzir uma tonelada de aço ao nióbio.

    Esta liga sofre a concorrência de outras ligas que produzem os mesmos efeitos, como o tântalo e o molibidênio.

    O nióbio é fartamente encontrado na natureza, no entanto sua exploração em muitos casos não é economicamente viável.

    Mo mundo existem três jazidas que suprem quase que 100% das necessidades mundiais deste produto. A maior delas em Araxá, Minas Gerais, que tem uma reserva superior a 500 anos ao nível de consumo mundial atual. A outra reserva está localizada em Catalão. Goiás e uma terceira no Canadá.

    Em Araxá trabalha-se com o pirocloro, que contem 3% de nióbio. O Gabão tem uam jazida com características bem semelhantes a de Araxá, mas ainda não é economicamente viável sua industrialização.

    Em Araxá existem 3 decretos de lavra. Dois deles pertencem ao Estado de Minas Gerais e um ao Grupo Moreira Salles. A empresa de Araxá, a CBMM é 100% nacional e tem 3 escritórios de venda no exterior.

    Pela retirada e processamento do minério nos decretos de lavra do estado, a CBMM paga ao Governo de Minas Gerais 25% de seu lucro líquido.

    As operações da empresa são auditadas anualmente por auditores independentes, tanto da CBMM aunto do Estado.

    O consumo de nióbio para aplicação em super condutores, aviação, industria aeroespacial é mínima ao uso em chapas de aço.

    As críticas que assisti no Youtube são improcedentes e vem de pessoas que não estudaram ou melhor não pesquisaram a fundo a questão e demonstram desconhecimento sobre o que estão falando.

    Seria interessante uma maior pesquisa sobre este assunto e caso seja de seu interesse poderemos juntos, através do blog, ter um debate mais profundo sobre a questão do nióbio.

    ResponderExcluir
  3. Creio que o nosso amigo também esteja desatualizado.
    Cerca de 49% da CBMM pertence ao Grupo Moricorp dos E.U.A. e outros 15% pertencem as companhias asiáticas Nippon Steel, JFE e Posco.
    Nosso Nióbio vem sendo roubado da nossa pátria desde a década de 50 debaixo dos nossos narizes e os resíduos do processamento desta matéria prima está matando a população da cidade de Araxá/MG de câncer por consumirem a água fornecida contaminada em seus lençõis freáticos há muitos anos.

    ResponderExcluir